Políticas de Ensino

A Faculdade Pan-Americana entende que o acesso ao ensino superior aliado a outros elementos estruturais contribui para a promoção do desenvolvimento social, econômico, político e cultural da sociedade. A educação superior pode ser entendida como um espaço privilegiado para o conhecimento e a superação dos problemas regionais e locais, pois prepara pessoal qualificado para o desenvolvimento e o bem-estar social da população, como também, para o exercício da cidadania e da autonomia.

Nesse sentido, para que possa formar profissionais competentes, é preciso garantir um ambiente aberto e acolhedor da diversidade – é assim que os jovens podem aprender mais e melhor e desenvolver ao máximo suas capacidades intelectuais. Por isto é que, do próprio ponto de vista de seu desenvolvimento acadêmico e da educação que se propõe dar aos estudantes, a Faculdade Pan-Americana irá buscar, constantemente, mais inclusão e mais diversidade em suas unidades.

Em síntese, a política para o ensino preconizada pela Faculdade Pan-Americana implica, entre outras medidas, a adoção de currículos flexíveis, atualizados e mais condizentes com as mudanças da realidade mundial e regional, em que os saberes se inter-relacionem e se complementem por meio da utilização de modernas tecnologias de ensino.

Pretende-se atender a um maior número de estudantes visando a:

  • Aumentar a produção do conhecimento científico e formando profissionais mais atualizados, competentes e capazes de intervir na realidade local e regional;
  • Criar condições para a formação de profissionais policompetentes, analisando as demandas do mercado local e nacional, com vistas à sistematização de processos educativos problematizadores, contextualizadores, flexibilizadores e integralizadores;
  • Fortalecer a articulação da teoria com a prática, por meio de atividades acadêmicas (iniciação científica, extensão, estágios obrigatórios, atividades complementares);
  • Desenvolver a gestão acadêmica no que tange à dinâmica do processo ensino-aprendizagem em articulação com a Coordenação dos cursos, Docentes e Discentes da IES;
  • Instituir de forma processual e sistemática o regime semipresencial nos cursos de graduação, nos termos da legislação vigente;
  • Estimular o intercâmbio interinstitucional de docentes e discentes, em nível nacional e internacional;
  • Garantir a qualidade na execução de Programas e Cursos, atendendo às expectativas dos participantes e ampliando as suas possibilidades acesso ao mundo do trabalho.

Para implementar a política de ensino da FAPAD a graduação utilizará técnicas didático-pedagógicas e metodologias que favoreçam o atendimento educacional especializado por meio Metodologia Ativa e de softwares que possibilitam a inclusão de pessoas com deficiência ou com espectro autista. Com relação ao curso de Direito, pretende-se possibilitar práticas de ensino, tais como: simulação de júri, laboratório de estudos de jurisprudência, audiências simuladas, aliado à sistema de simulação de provas de concursos públicos que serão sistematizados e informatizados e trarão ao discente o panorama jurídico da sociedade. Pretende-se ainda, possibilitar a interação dos docentes da FAPAD com professores do exterior em reuniões realizadas por vídeo conferência demonstrando através do direito comparado os sistemas jurídicos existentes, tanto o direito continental europeu assim como o direito anglo saxão.

Os princípios teóricos–metodológicos que orientam as ações dos serviços educacionais da FAPAD orientam-se para o ensino, para a pesquisa, por meio da iniciação científica e para a extensão, com programas específicos.

No ensino, o foco está centrado no aluno, de forma participativa, de modo a proporcionar a aquisição do perfil definido, em cada curso, e o desenvolvimento de suas capacidades críticas e criativas, além de conscientizá-lo das responsabilidades sociais, políticas e éticas. O ensino na FAPAD prevê a atualização curricular sistemática por meio da atuação do Núcleo Docente Estruturante de cada curso, a oferta de componentes curriculares na modalidade a distância quando previsto nos Projetos Pedagógicos dos Cursos por meio do AVA.

Na pesquisa, com a iniciação científica, o enfoque volta-se para a investigação exploratória, descritiva e explicativa da realidade, com sentido de ampliar o entendimento e de contribuir para as áreas de abrangência dos cursos, haverá realização de chats com parceiros previamente conveniados para a troca de experiências nas diversa áreas dos cursos.

Na extensão, o objetivo é possibilitar interface permanente da comunidade acadêmica com a sociedade, por meio de conhecimentos, informações e prestação de serviços, na busca do benefício mútuo.

Integram o conteúdo programático dos cursos da FAPAD, em todos os períodos letivos do curso, para colaborar com o enriquecimento do currículo dos cursos e contemplar o perfil traçado do profissional:

  • Programas de iniciação científica e atividades de pesquisa.
  • Cursos e serviços de extensão.
  • Atividades de monitoria (conforme edital).
  • Oferta de Nivelamento (transversal a todos os cursos)
  • Estágios curriculares obrigatórios e não obrigatórios.
  • Congressos, seminários, mesas-redondas, simpósios, visitas dirigidas, painéis, conferências, palestras ou eventos similares.

A FAPAD prevê a Interdisciplinaridade do processo de formação de pessoas, cidadãos e profissionais exigindo a globalidade do currículo e das ações dos responsáveis pela sua efetivação didático-pedagógica, política, ética, estética e transcendental nos diferentes componentes curriculares e situações que o integram, na forma de conhecimentos, hábitos, habilidades, competências, atitudes e valores dela decorrentes.

É política orientadora das ações de ensino–aprendizagem–desenvolvimento–educação de graduação da FAPAD propiciar ao aluno uma formação global que lhe permita construir competências, hábitos, habilidades e atitudes de forma crítica e criativa, estimulando-o a resolver problemas, estudar casos, intervir em realidades, prever crises, fazer predições sempre de forma ágil, versátil e ética, buscando seu auto aprimoramento e autor realização como pessoa e como cidadão, qualificando-o profissionalmente, tornando-o ciente de suas responsabilidades, usando para isso os recursos do conhecimento em seus vários níveis e modalidades, além das vivências e intervenções em realidades do seu cotidiano próximo ou remoto.

Isso pressupõe docentes permanentemente preparados para desafiar seus alunos à construção interativa do aprendizado, intervir no processo a fim de aperfeiçoá-lo, utilizando para tanto, metodologias e recursos diferenciados e uma proposta de avaliação que atue como agente de mediação entre o objeto a ser conhecido e a disposição do aluno para aprender.

Qualquer entendimento que se possa externar sobre o processo ensino‐ aprendizagem passa antes pela incorporação de valores que desencadeiam intenções, vinculados às realidades política, cultural e social. Seus desdobramentos naturalmente se enquadram no que de melhor e necessário possa ser buscado para a adequada preparação de profissionais competentes e sintonizados com essas realidades.

O processo de preparação profissional extrapola o aprendizado técnico e deve estar voltado à internalização dos conteúdos pertinentes à atividade profissional e ao consequente domínio de suas respectivas competências e habilidades. Vai à busca do perfil de um cidadão que, além disso, precisa estar consciente de que a sua vivência acadêmica, hoje, e profissional, amanhã, deverá refletir um modelo de formação que priorizou a Sustentabilidade, o Empreendedorismo e a Empregabilidade, consciente de seu papel como ser humano socialmente responsável.

O egresso da FAPAD deverá integrar a sociedade a que sempre pertenceu, não como um superior, mas como um cidadão transformado, dotado de perspectivas diferentes que o levem a adquirir compromissos com grupos ou pessoas antes ignoradas, a assumir o exercício de uma nova atividade conquistada por mérito, a valorizar o trabalho e também a si próprio, a não confrontar o bem individual com o coletivo.

À postura de incutir valores e habilidades incorporadas pela educação sistemática, são integradas, de forma que não pode ser dissociada ou restringida, as informações do cotidiano social, as vivências, a compreensão sobre as características da relação humana, a ética, o respeito às opções individuais, aos limites pessoais, profissionais e às diferenças em sua mais abrangente concepção, configurando as formas da educação assistemática.

A FAPAD pretende consolidar suas políticas, estabelecendo os seguintes princípios gerais para o ensino:

  • Estimular o relacionamento interpessoal e a comunicação eficaz, propiciando o trabalho em grupo e em equipes;
  • Fomentar práticas de aprendizagem para formação da pessoa e do profissional comprometidos com um mundo melhor;
  • Desenvolver ações inclusivas que contemplem a responsabilidade social, amparada em valores nos quais se assentam a sustentabilidade, a empregabilidade e o empreendedorismo;
  • Oferecer soluções educacionais que atendam exigências de formação cidadã para o presente e futuro, provendo, por meio de suas ações, competências, habilidades e atitudes requeridas pela sociedade;
  • Capacitar todos os envolvidos em suas ações sistematizando a tomada de decisão e prontidão às mudanças, a inclusão social e a flexibilidade.

apresentada.

top
Av. Mal. Floriano Peixoto, 886 - Centro, Curitiba - PR, 80010-130  | Telefone: (41) 3353-3100