Políticas de Extensão

A LDB, no inciso VI do art. 43, estabelece como um dos objetivos do ensino superior “estimular o conhecimento dos problemas do mundo presente, em particular os nacionais e regionais, prestar serviços especializados à comunidade e estabelecer com esta uma relação de reciprocidade”. Dessa forma, a extensão poderá também ser entendida enquanto serviço que a Faculdade Pan-Americana presta à sociedade, gerando alternativas de ação que atendam às reais expectativas e problemáticas da população. É ainda um espaço fértil para o exercício e conquista da emancipação crítica tanto da comunidade acadêmica quanto da sociedade. As diretrizes que norteiam a política de extensão da Faculdade Pan-Americana são:

  • Desenvolver a extensão em todos os cursos, como um dos instrumentos de formação profissional, por constituir-se em eixo de articulação entre o ensino e a iniciação científica;
  • Compreender os projetos de extensão como um conjunto de atividades de caráter educativo, cultural ou científico, desenvolvido a partir das coordenações de cada curso, por meio de ações sistematizadas, deliberadas pelo Conselho Superior;
  • Desenvolver eventos (cursos, fóruns, congressos, seminários, viagens, semanas acadêmicas, simpósios e outros) entendidos como atividades de caráter técnico, científico ou cultural, objetivando o acesso da comunidade às diversas áreas do conhecimento humano;
  • Priorizar projetos de relevância social que venham ao encontro das reais necessidades da sociedade, sobremodo das comunidades situadas próximas às instalações da Faculdade Pan-Americana, de forma a que seja possível uma intervenção mais eficaz, bem como a mensuração dos resultados alcançados;
  • Priorizar projetos de natureza interdisciplinar que permitam a contextualização das ações em uma perspectiva global, buscando a transformação social;
  • Estabelecer parcerias com entidades e instituições da sociedade civil organizada e órgãos governamentais para a elaboração e execução de atividades de extensão;
  • Articular o ensino e a iniciação científica com as demandas sociais, referentes às áreas da educação, da gestão, da comunicação, do direito e das tecnologias da informação, buscando o comprometimento da comunidade acadêmica com os interesses e necessidades da sociedade;
  • Estimular programas de bolsas mantidos com recursos próprios ou de agências de fomento;
  • Estabelecer um fluxo bidirecional entre o conhecimento acadêmico e o popular, buscando a produção de conhecimentos resultantes do confronto com a realidade e a democratização do conhecimento acadêmico;
  • Promover atividades de apoio e estímulo à organização, participação e desenvolvimento das comunidades, embasadas em princípios de autos sustentabilidade e do empreendedorismo;
  • Buscar nas atividades de extensão subsídios para a reavaliação dos conteúdos programáticos das disciplinas e cursos, identificando e possibilitando, inclusive, as práticas inovadoras.

A partir de 2021, será implantada a Curricularização da Extensão, a qual consiste na inclusão de Atividades de Extensão no currículo dos Cursos de Graduação, como parte obrigatória da formação humana de todos os acadêmicos, sob a perspectiva de uma transformação social por meio de programas e projetos orientados por docentes, tutores e com possível colaboração de técnicos administrativos em educação da FAPAD.

Os Projetos Pedagógicos dos Cursos Superiores (PPCs) deverão assegurar em suas matrizes curriculares, no mínimo, 10% da carga horária total do curso em Atividades de Extensão nas áreas de grande pertinência social, conforme previsto em legislação vigente.

A carga horária de extensão a ser curricularizada não é uma carga horária adicional, mas parte integrante da carga horária total do curso.

As práticas curriculares de extensão poderão constar na estrutura curricular dos cursos sob a denominação de Práticas Curriculares de Extensão I (PCE I), Práticas Curriculares de Extensão II (PCE II), Práticas Curriculares de Extensão III (PCE III) e Práticas Curriculares de Extensão IV (PCE IV).  A totalização das cargas horárias realizadas até o final dos cursos na forma de requisito curricular deve ser identificada na matriz curricular como Práticas Curriculares de Extensão (PCE).

As atividades de extensão na FAPAD serão norteadas e sistematizadas a partir de oito áreas temáticas, correspondentes a grandes focos de política social. São elas: Comunicação; Cultura; Direitos humanos e Justiça; Educação; Meio Ambiente; Saúde; Tecnologia e Produção; e Trabalho. Quanto as modalidades, poderão ser registradas como programas, projetos, cursos, eventos e prestação de serviços.

Entende-se como Programa de Extensão o conjunto articulado de projetos e outras ações de extensão, de caráter multidisciplinar e integrado a atividades de pesquisa e de ensino. Tem caráter orgânico-institucional, integração no território e/ou grupos populacionais, clareza de diretrizes e orientação para um objetivo comum, sendo executado a médio e longo prazo por alunos orientados por um ou mais professores da instituição.

Entende-se como Projeto de Extensão uma ação processual e contínua de caráter educativo, social e cultural, científico ou tecnológico, com objetivo específico e prazo determinado. A implementação de projetos pode ser desencadeada por meio de uma chamada à apresentação de um projeto ou na modalidade de demanda espontânea. Em se tratando de demanda espontânea, o projeto é acolhido a qualquer momento, quando da estruturação de ações que podem reunir antigas ou novas demandas de extensão.

Entende-se como Curso de Extensão a ação pedagógica planejada e organizada de forma sistemática, de caráter teórico e prático, presencial, semipresencial ou à distância, planejado para atender às necessidades da sociedade, visando o desenvolvimento, a atualização e aperfeiçoamento de conhecimentos, com critérios de avaliação definidos.

Entende-se como Evento de Extensão a ação de curta duração que implica na apresentação e/ou exibição pública, livre ou com clientela específica, do conhecimento ou produto cultural, artístico, esportivo, científico e tecnológico desenvolvido pela FAPAD. Eles podem ser realizadas sob a forma de congressos, conferências, seminários, encontros, simpósios, jornadas, colóquios, fóruns, reuniões, mesas-redondas, ciclo de debates, oficinas, exposições, feiras, mostras, salões, lançamentos, espetáculos, recitais, concertos, shows, apresentações, eventos esportivos (campeonato, torneio, jogos), festivais, campanhas, dentre outros.

Entende-se como Prestação de Serviços a comunidade a atividade de transferência à comunidade do conhecimento gerado, incluindo-se nesse conceito assessorias e consultorias, pesquisas. Os coordenadores de curso em parceria com a direção de ensino poderão induzir o registro de atividades nessa modalidade por meio de editais para escritórios modelos, que visam proporcionar ao acadêmico a aplicação prática de conhecimentos teóricos, relativos à área de formação profissional, seja do direito ou da administração e facilitar o ingresso de futuros profissionais no mercado, colocando-os em contato direto com o seu mercado de trabalho.

 

top
Av. Mal. Floriano Peixoto, 886 – Centro – CEP. 80.010-130 – Curitiba/PR. Telefone (41) 3501-7455 | Email: contato@fapad.com.br